Sorvete de banana de dois ingredientes

c360_2017-10-06-12-00-14-8411202553061.jpg

Comecei a fazer esse sorvete porque estava de regime sem comer açúcar, mas ele é tão docinho e delícia que ficou para a vida. É quase mágica ver a banana congelada se transformar num creme gelado e levinho, quem já tentou fazer sorvete sabe a dificuldade de chegar nesse tipo de textura. Apesar de não ter açúcar nem nenhum outro tipo de adoçante adicionado ele é doce de verdade, que chega a enjoar de tão doce se inventar de querer comer demais.

Para preparar é a coisa mais simples do mundo: Congele a banana bem madura em rodelas médias e bata com um pouco de leite de coco (cerca de 1/3 de vidro para 2 bananas) em um processador ou mixer. Alguns alertas: a banana tem que ser muito muito madura, naquele ponto de quase passar pra dar a doçura necessária para o sorvete. O leite de coco tem que ser mais grossinho porque o que queremos dele aqui é a gordura. Depois de bater é só voltar para o freezer por cerca de meia hora pra firmar e servir.

Nesse caso eu adicionei framboesa congelada e cobri com amêndoa laminada e granulado de chocolate meio amargo, mas as opções são muitas:

  • Para misturar no sorvete: framboesa, morando, amora, blueberry, manga, maçã, pêssego, maracujá, cacau em pó, cravo e canela em pé, gengibre. As frutas para serem batidas junto também devem estar congeladas para chegar na textura certa de sorvete, creme de amendoim (ou de qualquer outra amêndoa).
  • Para jogar por cima: Chocolate granulado, lâminas de amêndoa, chips de coco, paçoca esfarelada, castanha de caju picada, castanha do pará (na verdade qualquer tipo de castanha), chia, nibs de cacau, granola, mais frutinhas pequenas ou picadas.

c360_2017-10-06-12-03-08-2821146602313.jpg

Bolinho de grão de bico com curry

Nessa sexta-feira trago para vocês uma receita vegan e deliciosa.

Ingredientes:

430 gr de grão de bico cozido

20 gr de cebolinha picada grosseiramente

100ml de leite de côco

2 col. chá de melado

1/3 xícara de farinha de rosca (mais o necessário para empanar)

2 col. chá de curry em pó

1 col. chá de coentro em pó

130 gramas de arroz integral cozido

Sal a gosto

Azeite ou óleo a gosto pra fritar os bolinhos

Modo de preparo:

Começo esclarecendo que o arroz e o grão de bico devem ser pesados depois de cozidos. No meu caso eu já aproveitei para deixar de molho e cozinhar uma quantidade maior de grão de bico e congelei o que não utilizei para temperar e finalizar depois.

Coloque o grão de bico cozido e as cebolinhas no processador e bata até misturar. Meu processador era muito pequeno então tive dificuldade e acabei batendo demais. Recomendo colocar aos poucos e bater pouco para que a massa fique mais leve. Coloque esta mistura numa tigela e adicione o leite de côco, o melado, 1/3 de xícara de farinha de rosca, o curry e o coentro em pó. Misture até ficar homogêneo. Acrescente o arroz integral cozido e o sal.  Forme bolinhos achatados um pouco menor do que a palma da mão, com mais ou menos um dedo de altura e vá passando na farinha de rosca.

Frite os bolinhos numa frigideira aquecida em fogo médio com um fio de óleo. Deixe dourar de uma lado e depois vire e repita, cerca de 7 minutos para cada lado. Pode colocar vários ao mesmo tempo, só não encha demais a panela para não desmontar os bolinhos.

Nesse caso eu servi os bolinhos acompanhados de brócolis assado pelo mesmo processo desse post da couve-flor mas temperei apenas com sal. Senti falta de algum molho para acompanhar, acho que um vinagrete ficaria perfeito. Rende cerca de 12 bolinhos.

Arroz (ou cuscuz) de couve-flor

Não sou paleo, nem low carb. Não sou raw, nem gluten free, nem detox. Também não sou vegana, ainda estou dando os primeiros passos pra reduzir o consumo de produtos animais, começando pela introdução de outras opções.

Gosto de comer de tudo e tenho curiosidade de experimentar receitas de todos esses nichos muito mais pelas vantagens gastronômica do que pelas nutricionais, por isso resolvi testar essa idéia do arroz de couve-flor, amplamente utilizado para substituir o carboidrato em diversas dietas.

O passo a passo é bem simples: Lave a couve-flor, rale ou passe por um processador de alimentos para obter pedacinhos bem pequenos e refogue na frigideira com azeite e sal por cerca de 10 minutos. Nessa primeira experiência não adicionei vegetais e temperos porque queria justamente analisar o sabor e textura.

Gostei bastante do resultado que substitui bem o arroz ou cuscuz pra acompanhar cozidos e outros pratos mas tem um sabor claro de couve-flor então talvez não funcione para quem não aprecia o vegetal.

Testarei receitas mais elaboradas e volto pra contar o resultado, enquanto isso algumas sugestões:

  • Com coentro e limão
  • Com alho e limão
  • Com cebola, abobrinha e pimentão picadinhos
  • Um tabule adicionando tomate, cebola, limão, salsa e hortelã picados depois de tirar a couve-flor do fogo.
  • Com cogumelos salteados
  • Com cenoura picada, ervilha e milho.

Couve-flor assada com curry

 

Já experimentou assar couve-flor?

Esse ingrediente aparentemente sem graça se transforma no forno, ganhando uma casquinha dourada e adocicada que equilibra com perfeição a picância do curry. Além de tudo é uma receita facílima, rápida e saudável. Não tem como ser melhor.

Comece pré aquecendo o forno a 240 graus. Enquanto isso, lave a couve-flor e corte em floretes. Os pedaços não precisam ser tão homogêneos- inclusive prefiro ter alguns menores pra ficarem bem douradinhos e crocantes- e pode aproveitar a couve flor toda cortando os talos em pedaços médios.

Coloque a couve-flor cortada em um bowl ou vasilha, regue com azeite e misture bem para cobrir todos os pedaços (esse passo é muito importante pra garantir que e vegetal doure bem no forno). Em seguida tempere como sal e curry e mexa novamente para distribuir bem os temperos. Cuidado para não exagerar, vá colocando aos poucos e mexendo até chegar na quantidade desejada. Quem não gosta de curry pode substituir por páprica, pimenta síria, lemon pepper ou apenas sal e pimenta do reino.

Distribua a couve-flor em uma assadeira grande, de forma que fique bem espalhada. Se estiver muito cheia a couve-flor vai ficar molenga antes de dourar.

Asse por cerca de 20 minutos, virando os pedaços depois de cerca de 12 minutos para que os dois lados fiquem torradinhos.

Esse prato pode ser servido como acompanhamento, como principal (com arroz, feijão e salada por exemplo) ou ainda como entrada (acompanhado de um molho cremoso fica delicioso).